CUIABÁ

SAÚDE

4 rituais que vão te ajudar a superar o luto

Publicados

SAÚDE

4 rituais que vão te ajudar a superar o luto
Redação EdiCase

4 rituais que vão te ajudar a superar o luto

Existem 4 etapas que compõem os rituais referente ao Luto. Com elas, conseguimos traduzir a habilidade externa que as pessoas em processo de luto usam para lidar com o mundo e suas dores. Importante ressaltar que os rituais ajudam a processar o luto de modo seguro e por um determinado período. Confira!

1ª etapa: contenção

Precisamos de um espaço contido para processar nossa perda, caso contrário, acabamos em uma montanha-russa sem barras de proteção que nos segurem durante a viagem. A maior parte das pessoas ficam por conta própria na hora de lidar com o luto . Mas, na verdade, elas precisam da orientação solidária de alguém mais sábio.

Essa pessoa irá ajudá-las a definir o que funciona para elas como um lugar seguro enquanto lidam com o caos criado pela perda. Por esse motivo, é importante que um lugar seguro seja criado de forma conjunta pelo facilitador e o cliente para que o processo de luto seja bem-sucedido.

2ª etapa: entrega

Para estar aberto ao ritual, você precisa aceitar o caos. O caos é dizer sim ao luto. Quando dizemos não ao luto, raramente sentimos que o espaço contido é seguro.

3ª etapa: Desconstrução

Simbolicamente, esta etapa refere-se à desconstrução do antigo “eu” que existia antes da perda. Isso inclui desconstruir os antigos desejos… E construir com o cliente um modo de lidar com a morte do seu antigo “eu”. A desconstrução que acontece durante o processo de luto é o desmantelamento do antigo “eu” e dos antigos desejos.

4ª etapa: reconstrução

Essa é uma das etapas mais demoradas, visto que, entre a desconstrução e reconstrução, é necessário reintegrar alguns aspectos importantes como:

  • Papéis em ação;
  • Identificação com pessoas;
  • Identificação com coisas;
  • Hábitos;
  • Atitudes;
  • Sentimentos.
Leia Também:  Média móvel de óbitos caiu 60,4% desde o pico da Ômicron, diz Saúde

Lembre-se de que os rituais ajudam você a processar o luto de um modo seguro e por um determinado período. O processo de luto, se for prosseguir, requer habilidades e recursos que nos permitem tolerar a ambiguidade que não só é persistente em tantas áreas da nossa vida, mas também no que quer que seja, e que talvez nunca saibamos.

A importância de viver o luto

Viver o luto é fundamental, pois quando o reprimimos, pode se tornar algo patológico. Ou seja, em vez de sofrermos por um período de um ano, podemos enfrentar a angústia por muito mais tempo, desenvolvendo sentimentos profundos de tristeza e até mesmo depressão. Quando a sintomatologia do luto passa a interferir na qualidade de vida e saúde mental, compreende-se que se trata de um luto complicado e deve ser tratado.

“O luto não é a roupa, é tristeza, é a falta da pessoa, de sentir a presença em cada coisa que vai fazer, é algo que vem de dentro, é a saudade”. (ERICKSON, 1998).

Busque ajuda profissional

Busque ajuda caso perceba que seu sofrimento está muito intenso, se prolongando ou mesmo impedindo que consiga manter suas atividades, causando muito impacto na sua vida e em suas relações. Outro sinal de que é preciso buscar suporte emocional pode surgir quando as pessoas a sua volta sinalizam que estão preocupadas com sua saúde mental. 

Esses sinais podem significar que as perdas vivenciadas neste período estejam lhe sobrecarregando e, neste caso, pode ser necessário o auxílio de um profissional qualificado para que não haja agravamento das dificuldades. 

A técnica de Hipnoterapia

Ressignifique o momento da perda com a Hipnoterapia. Este processo visa ajudar o paciente a buscar dentro de si uma maneira de transformar os sentimentos de dor em boas lembranças, por meio de diferentes técnicas que podem ser usadas para o paciente se reconectar com a sua energia vital.

Leia Também:  Entenda a importância das brincadeiras para o desenvolvimento infantil

Na hipnoterapia do luto, o compartilhamento dessa dor pode ajudar o paciente a reaprender a viver em uma nova realidade e lidar com os próprios sentimentos, onde uma pessoa importante já não está mais presente fisicamente. O suporte profissional deve contribuir para que uma memória dolorosa não seja tão incapacitante. Não carregue um fardo como esse sem auxílio. 

É claro que seria mais fácil apagar as memórias de momentos que gostaríamos de não ter vivido, mas você não precisa voltar ao passado para ressignificá-lo. Apesar do tema ser a morte, todas as conversas e técnicas utilizadas nas terapias acabam girando em torno da vida.

Fala-se sobre como as pessoas desejam viver mais plenamente, como podem compartilhar seus desejos, medos e escolhas com as pessoas que amam. E tem uma questão que sempre sugiro a partir dessa conversa, que é procurar essas pessoas e falar aquilo que pensou em dizer se só tinha uma hora de vida. “ Muitas vezes a gente pensa que é muito cedo até que é muito tarde ” 

Para concluir, a vida precisa continuar, a aceitação da perda conduz o sujeito a reformular o pensamento de seguir em frente, estabelecendo um conceito pessoal de que a dor é o combustível para que se possa aprender a lidar com o sofrimento.

* Por hipnoterapeuta Débora Diniz

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

SAÚDE

Ministério da Saúde lança Campanha Nacional de Vacinação

Publicados

em

Por

Confira, a seguir, informações como as faixas etárias para as diferentes categorias de vacinação
Tânia Rêgo/Agência Brasil – 26/01/2022

Confira, a seguir, informações como as faixas etárias para as diferentes categorias de vacinação

O Ministério da Saúde lançou hoje (7), em São Paulo, a Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite e de multivacinação. O objetivo é recuperar a cobertura vacinal de crianças e adolescentes que deixaram de tomar os imunizantes previstos no calendário nacional.

A partir de amanhã (8), cerca de 40 mil salas de vacinação em todo o país estarão abertas para aplicar doses de 18 tipos de imunizantes previstos no calendário nacional de vacinação para esse público. A campanha terminará em 9 de setembro.

A vacinação contra a poliomielite é destinada para crianças menores de 5 anos. A multivacinação é para crianças e adolescentes menores de 15 anos. Para crianças estarão disponíveis os seguintes imunizantes :

Hepatite A e B; Penta (DTP/Hib/Hep B), Pneumocócica 10 valente; VIP (Vacina Inativada Poliomielite); VRH (Vacina Rotavírus Humano); Meningocócica C (conjugada); VOP (Vacina Oral Poliomielite); Febre amarela; Tríplice viral (Sarampo, Rubéola, Caxumba); Tetraviral (Sarampo, Rubéola, Caxumba, Varicela); DTP (tríplice bacteriana); Varicela e HPV quadrivalente (Papilomavírus Humano).Para adolescentes: HPV; dT (dupla adulto); Febre amarela; Tríplice viral; Hepatite B, dTpa e Meningocócica ACWY (conjugada).

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, também fala como a vacinação para a covid pode ser incluída
Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil – 16.02.2022

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, também fala como a vacinação para a covid pode ser incluída

Leia Também:  Paulistanos têm ampla programação no mês da saúde e qualidade de vida

Segundo o ministério, a partir dos três anos de idade, as vacinas de covid-19 podem ser administradas de forma simultânea ou com qualquer intervalo com os demais imunizantes.

Ao participar do lançamento da campanha, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que o último caso de pólio no Brasil foi registrado em 1989.

Segundo ele, a cobertura vacinal da população está diminuiu em todo o mundo, principalmente durante o período da pandemia de covid-19. O ministro também conclamou as famílias a levarem as crianças para vacinar.

“Peço aos pais que levem seus filhos para as salas de vacinação. É inaceitável que, hoje, no século 21, 100 anos depois do esforço extraordinário de Oswaldo Cruz para introduzir esses conceitos sanitários no Brasil, nós tenhamos ainda crianças com doenças que podem ser evitáveis por vacina”, afirmou.

O ministério espera vacinar cerca de 14.3 milhões de pessoas contra a polio. Todos os imunizantes ofertados têm registro pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA