CUIABÁ

MUNDO

Ex-presidente das Filipinas morre aos 94 anos

Publicados

MUNDO

O ex-presidente filipino Fidel Ramos morreu aos 94 anos de idade, no domingo (31). Ele foi uma figura importante nos protestos pró-democracia de 1986, que derrubaram a ditadura no país. O escritório presidencial das Filipinas anunciou a morte, mas as causas não foram reveladas.

Ramos era um militar de alto escalão durante a ditadura do ex-presidente Ferdinand Marcos, pai do atual líder do país, Ferdinand Marcos Junior. No entanto, Ramos apoiava Corazon Aquino, figura central no movimento Poder Popular de 1986. Sua mudança de posicionamento provocou a queda do governo de Marcos.

Depois de Aquino se tornar presidente, Ramos passou a ocupar cargos importantes no governo, inclusive, o de ministro da Defesa. Ele frustrou tentativas de golpes por parte de oficiais do Exército, o que contribuiu para a estabilidade do governo de Aquino.

Ramos assumiu a presidência em 1992 e se comprometeu a reconstruir a economia das Filipinas. Ele é reconhecido por ter colocado o país de volta nos trilhos do crescimento econômico.

Ramos deixou o cargo em 1998, mas manteve sua influência política, apoiado também pela opinião pública. Assim, foi capaz de fazer várias exigências a governos subsequentes.

Leia Também:  Bombardeio russo impede mais uma vez retirada de pessoas de Mariupol

Fonte: EBC Internacional

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

MUNDO

Secretário-geral da ONU condena ameaças de guerra nuclear

Publicados

em

Por

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres,  disse neste sábado (6), durante um evento em Hiroshima para marcar os 77 anos do lançamento da bomba atômica sobre a cidade japonesa, considera inaceitável que os países com armas nucleares admitam a possibilidade de uma guerra com o uso deste tipo de armamento e avisa que a humanidade está brincando com uma arma carregada.

“Temos de manter os horrores de Hiroshima sempre presentes, reconhecendo que existe apenas uma solução para a ameça nuclear, não haver armas nucleares”, disse Guterres. “Quase 13 mil armas nucleares são mantidas em arsenais em todo o mundo e crises fortemente sublinhadas pelo nuclear disseminam-se depressa, do Oriente Média à península coreana e na invasão russa da Ucrânia.”

Durante o evento, Guterres pediu aos países que trabalhem para eliminar as armas nucleares. “Os países que têm armas nucleares têm que se empenhar na não utilização dessas armas e também têm que garantir aos estados que não possuem armas nucleares, que não usarão e nem ameaçarão usar essas armas contra eles.”

Leia Também:  Rússia acusa EUA de financiarem armas biológicas na Ucrânia

Mais de 140 mil pessoas morreram em Hiroshima em consequência do ataque norte-americano usando uma bomba nuclear no dia 6 de agosto de 1945. Foi a primeira vez que este tipo de armamento foi utilizado. Três dias depois, os EUA soltaram uma segunda bomba atômica na cidade japonesa de Nagasaki.

* Com informações da RTP

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Internacional

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA